Publicidade

Controle Contabilidade

;

SUPER SHOW GOMES

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Política em Nova Cruz

Conversei na noite deste sábado com o ex-prefeito de Nova Cruz...e agora ex-aliado da governadora Rosalba Ciarlini, Cid Arruda Câmara.
Magoado com o que interpreta como "falta de prestígio" do governo com ele, Cid rompeu com o sistema que ajudou a eleger.
E ao Blog, contou a história desde o começo. Desde a campanha de 2006, onde ele apoiou, para o Senado, a candidatura de Geraldo Melo, e o adversário local, o prefeito Flávio Azevedo, apoiou a candidatura da hoje governadora Rosalba Ciarlini.

Segundo Cid, na campanha passada, seu povo em Nova Cruz não queria, de jeito nenhum, votar na Rosa. Era claro o envolvimento da então candidata com a família de Azevedo. Laços remotos, dos tempos em que o pai da primeira-dama, Ana Carla, foi professor de Rosalba.
Para o pessoal de Cid, votar em Rosalba seria "levantar a bola de Flávio".
E como a voz do povo é a voz de Deus, não é que o povo que Cid chama de "Meus Amores", estava certo?
"Eu não tinha motivo algum para votar nela, mas eu podia deixar de votar em Robinson?", questionou Cid Arruda, que, além de amigo, nos últimos anos foi chefe de gabinete do presidente da Assembleia Robinson Faria, hoje vice-governador...do governo com o qual Cid rompeu.
"Sou amigo de Robinson, não rompi com ele. Mas não posso ficar transitando na Secretaria dele nem posso continuar fazendo programa de rádio na emissora dele. Como vou pra emissora do vice-governador pra falar mal do governo? Por isso encerrei o meu programa".
Cid apresentava aos sábados, na emissora de Robinson em Nova Cruz, um programa político. E foi no mesmo programa, ontem, que ele anunciou o rompimento com um limpo e seco pedido de perdão às pessoas a quem ele havia pedido para votar na governadora.

Na campanha, depois de conversas de Cid com Robinson, ficou acertado que a então candidata Rosalba não iriaa Nova Cruz, e que, se fosse, teria dois palanques: o do atual prefeito e o do ex-prefeito. O bom senso do momento apontou para a não ida de Rosalba ao município complicado politicamente.
Mas...o prefeito Flávio Azevedo fez uma campanha extra. Além de eleger a governadora, ele queria levá-la ao seu palanque. E no finzinho da campanha, sem agenda marcada nem anúncio prévio, eis que a Rosa desembarcou no palanque de Flávio Azevedo, dando prova de "nem aí" para o grupo de Cid, que foi ao então candidato a vice-governador Robinson Faria, e cobrou "direitos iguais".
Robinson conseguiu. E Rosalba, dois dias depois, voltou a Nova Cruz para o palanque de Cid. Ocasião em que falou para o "povo de Robinson", que ele iria ser "o governador do Agreste".
Palavras que Cid Arruda guardou na cachola. Acreditou. E apostou, certo de que teria prestígio no governo.
Ledo engano. E a resposta veio rápida, logo na escolha de cargos.
Ao saber que a direção da Terceira Dired - que coordena a Educação em 18 municípios da região - seria entreguea Ana Carla, a mulher do prefeito, Cid reagiu. Foi a Robinson e ao secretário de governo Esdras Alves, que disse não ter conhecimento de tal indicação. E na solenidade de posse dos diretores de Direds de todo o Estado, no último dia 3, a mulher do prefeito de Nova Cruz não estava lá.

Ufa!...pensou Cid Arruda, que ao abrir o Diário Oficial do dia seguinte, viu que o alívio não passava de um consolo. Lá estava a nomeação de Ana Carla Azevedo para o cargo que Cid, com apoio de Robinson, queria indicar um professor.
"Se tivesse sido uma solução técnica eu ficaria calado. Se a mulher de Flávio fosse uma pedagoga preparada para o cargo, eu entenderia, mas nem currículo ela tem. Ela é bioquímica, não tem preparo pedagógico, nunca foi numa sala de aula, nunca pegou num giz", criticou Cid Arruda, certo de que, ao assumir, ela fará uma "varredura" e demitirá todo pessoal ligado a ele...ligado ao vice-governador Robinson Faria.

Para Cid, a solução foi abandonar o barco. "Se eu ficasse eu seria o camarada mais sem personalidade possível", avaliou o ex-prefeito que já anunciou que, se tiver apoio, será candidato em 2012.
Mas...apoio de quem? O governo terá dois palanques em Nova Cruz?
Rosalba subirá no palanque do candidato de Flávio Azevedo....e seu vice Robinson subirá no de Cid, onde o discurso será de oposição ao governo do qual ele faz parte? 
Mas pelo que disse Cid, os apoios em Nova Cruz pesam pouco...ou nada.
"Flávio levou pro palanque dele o deputado Henrique Alves eo deputado Ezequiel Ferreira, que queriam derrotar Rosalba pois votavam em Iberê. Eu tinha no meu palanque o candidato a vice-governador Robinson Faria, o deputado federal mais votado e eleitor da Rosa, Fábio Faria, o deputado estadual Raimundo Fernandes que em Nova Cruz, do sistema governista, foi o mais votado, e o resultado é esse aí", disse Cid Arruda Câmara, que rompe categoricamente com o governo. 
Governo que o sobrinho Arturo Arruda, publicitário, ajudou a eleger como marqueteiro da candidata.
Governo onde seu irmão, Domício Arruda, é o secretário de Saúde.
Onde seu irmão Cassiano, jornalista e publicitário, e pai de Arturo, atua nas ações de marketing. 
Os laços familiares de Cid com o grupo da Rosa, não se compararam aos laços familiares da Rosa com o prefeito Flávio Azevedo, seu adversário em Nova Cruz. E Cid rompeu sempre lembrando o que ouviu de Rosalba no último discurso que ela fez no município: "Robinson será o governador do Agreste".
Não é.

Nenhum comentário:

Postar um comentário