Publicidade

Controle Contabilidade

;

SUPER SHOW GOMES

sábado, 4 de julho de 2009

Esportes

De olho no GP da Alemanha, Ross Brawn promete melhorias no carro da escuderia


Dirigente quer se recuperar do desempenho abaixo da média na Inglaterra.


GLOBOESPORTE.COM Londres

Ross Brawn prevê melhorias no carro da equipe para a disputa do GP da Alemanha, no dia 12


Ross Brawn, chefe da Brawn GP, declarou que a equipe vai tentar melhorar o rendimento do modelo BP001 para o Grande Prêmio da Alemanha, em 12 de julho. O objetivo é se recuperar do desempenho abaixo da média em Silverstone, quando conseguiu o terceiro e sexto lugares e viu a RBR fazer dobradinha.

- A RBR está perto o ano todo, então acho que precisamos encontrar mais rendimento, pois eles deram um bom passo em Silverstone - analisou.


Brawn contou que a equipe tinha atualizações para a última corrida, mas preferiu não usá-las.


Com a confusão sobre os pneus, não testamos novas partes que tínhamos, pois a sexta-feira foi muito difícil com as temperaturas baixas. Não poderíamos determinar como essas novas partes funcionariam, então decidimos evitar confusões e voltar para a configuração da Turquia.


O chefe da equipe inglesa também falou sobre a disputa com a RBR e com as outras equipes.


Sempre dissemos que seria difícil (duelo com a RBR). Mas, com todo o respeito a Ferrari e Williams, contra quem corremos em Silverstone, não foram eles que evoluíram: nós que demos um passo para trás - concluiu.


Felipe Massa joga a toalha e não vê chance de título nem para Barrichello


Piloto brasileiro acredita que a briga pelo primeiro lugar da temporada 2009 da Fórmula 1 ficará entre Button e Vettel.


Fernando Poffo Barueri, SP
Massa chega para o amistoso em Barueri


Felipe Massa já não acredita mais em uma reação na temporada 2009 da Fórmula 1. Convidado para participar do amistoso organizado por Narciso, ex-jogador do Santos, o brasileiro, sexto colocado na classificação, com 16 pontos, disse não ver qualquer possibilidade de superar o líder Jenson Button, com 64.


Alcançar o líder é praticamente impossível para mim. A Brawn e a RBR estão realmente em um nível acima da Ferrari. A briga vai ficar entre as duas equipes mesmo. O (Jenson) Button está numa situação bem confortável. Só o (Sebastian) Vettel, que vem em um crescimento, pode fazer com que não fique fácil para o Button. Acho que a briga vai ficar mesmo entre os dois.


Nem Rubens Barrichello, segundo colocado na tabela de classificação, foi apontado como eventual candidato ao título na análise de Massa.


Não é impossível para o Rubens, mas além de fazer seus resultados ele tem que torcer para o Button ter problemas. Está mais para o Button e o Vettel mesmo.


Apontado como grande candidato ao título após o segundo lugar no ano passado, Felipe Massa não está decepcionado com o seu desempenho na atual temporada.
Massa, agachado com a bola, na foto com os participantes do amistoso


Decepcionado com meu desempenho, não. Eu acho que dentro da pista eu venho fazendo um bom trabalho. No meu caso, estou satisfeito, o carro que não está bem – disse Massa, preocupado mais em acertar o seu Ferrari para o ano que vem.



Se a ambição pelo título acabou, a vontade de melhorar segue movendo Massa, que tem objetivos bem traçados para as próximas corridas.



Eu agora tenho que pensar primeiro em buscar melhorar no pódio ainda nesta temporada, tentar a minha primeira vitória.



O piloto também comemorou o desfecho do imbróglio entre a FIA, entidade máxima do automobilismo, e a FOTA, a associação dos pilotos da F-1, que chegaram a um consenso e garantiram a realização da próxima temporada sem a saída de pilotos e equipes insatisfeito com o teto orçamentário que havia sido imposto pela FIA.

- O que eu mais queria era que acabasse com essa guerra e ainda bem que acabou, para a gente é muito melhor. O desfecho foi positivo porque a FIA aceitou, todos se acertaram da maneira mais correta.



Nem mesmo a especulação sobre uma possível contratação de Fernando Alonso para a Ferrari na atual temporada incomoda Massa, que disse estar tranqüilo com a sua situação na equipe e mais preocupado em se divertir no amistoso organizado pelo ex-jogador do Santos.



É muito legal jogar com esse pessoal aqui. Não é a minha área, apesar de eu já ter até sonhado em ser jogador. Mas vale mesmo pela diversão e por poder ajudar – disse o piloto, contente com o jogo em que participaram, dentre outros, Cafu, Pedrão, Juninho Paulista, Nenê, Flávio Conceição, Amaral , Anderson Lima e Jameli.



O jogo foi realizado em Barueri e a renda obtida com a venda dos ingressos, que custava R$ 2,00, será doada ao o GRAAC (Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer).


Em uma virada histórica, Finlândia tira invencibilidade do Brasil na Liga Mundial


Apática, seleção brasileira perde sua primeira partida na competição.


GLOBOESPORTE.COM Tampere, Finlândia
Seleção não consegue segurar a Finlândia



No dia anterior, a Finlândia parecia inofensiva. Mas, após a derrota por 3 sets a 0, os donos da casa entraram em quadra neste sábado dispostos a garantir uma vitória histórica sobre o Brasil na Liga Mundial.


Com uma virada impressionante, a equipe comandada por Mauro Berruto tirou a invencibilidade dos brasileiros na competição por 3 sets a 2, com parciais de 23/25, 23/25, 25/22, 25/22 e 17/15, em Tampare, na Finlândia. Em 12 confrontos entre os dois países, esta foi a primeira vez que o Brasil saiu derrotado.

Apesar da derrota, a seleção brasileira lidera o grupo D da Liga Mundial com 20 pontos, enquanto os finlandeses alcançam 11 pontos.


Os donos da casa começaram bem e abriram em 5 a 2. Com um ponto de bloqueio do Bruninho, o Brasil empatou em 5 a 5. Mas, logo em seguida, a Finlândia voltou a liderar o placar. Só depois de um erro de ataque da equipe adversária, a seleção conseguiu passar à frente no placar em 14 a 13. A partir daí, com destaque para Murilo nos ataques e Lucão no saque, o Brasil conseguiu manter a liderança até fechar em 25 a 23.


Assim como no set inicial, a Finlândia começou melhor no segundo período, abrindo em 7 a 4 o placar. Enquanto a equipe de Bernardinho insistia em cometer erros na recepção, os adversários surpreendiam neste fundamento e seguraram a liderança do placar até a parte final do set. Aos poucos, o Brasil foi tirando a diferença e, com um forte saque de Marlon, virou o placar em 20 a 19. Com um ataque de Lucão, a seleção brasileira garantiu a vitória também no segundo set por 25 a 23.

Apagão a partir do terceiro set

saiba mais
Cuba perde para Rússia, mas segue líder do grupo C da Liga Mundial
Pelo grupo do Brasil na Liga Mundial, Polônia vence a Venezuela
Com atuação de gala, seleção brasileira derrota Finlândia e segue invicta na Liga
Brasileiras vencem americanas e estão na final da Copa Pan-Americana


Com os centrais bem marcados pela Finlândia, o Brasil não conseguiu acertar os ataques no início do terceiro set, deixando os adversários abrirem em 11 a 6. Sacando melhor e criando jogadas mais eficientes com o levantador Mikko Esko, os donos da casa deixaram os brasileiros apáticos na partida. Com a queda na recepção e, consequentemente, nos ataques, ficou difícil segurar a Finlândia que fechou o set em 25 a 22.

O quarto set começou mais equilibrado. Com importantes pontos de bloqueio de Giba e Rivaldo, o Brasil tomou a liderança do placar em 8 a 6. Mas a seleção voltou a errar ataques importantes, e a Finlândia conseguiu virar a partida. Liderada pelos potentes ataques de Siltala, a equipe da casa seguiu dominando o placar até fechar novamente em 25 a 22.

No início do set decisivo, equilíbrio novamente com Rivaldo de um lado e Oivanen, de outro. A Finlândia foi a primeira a abrir vantagem em 13 a 10, mas, com o forte saque de Giba, o Brasil chegou a virar. Mas não era mesmo o dia da seleção de Bernardinho. Após uma recepção ruim, que permitiu um contra-ataque de primeira da equipe adversária, o Brasil perdeu o set por 17 a 15 e a partida por 3 a 2.





Juliana e Larissa perdem na decisão, e Brasil sai com prata e bronze do Mundial


Dupla americana Ross/Kessy se sagra campeã do torneio.


GLOBOESPORTE.COM Stavanger, Noruega

Não foi desta vez: Juliana e Larissa caem diante de americanas e ficam com a prata


Larissa e Juliana foram derrotadas pela dupla americana Ross/Kessy na tarde deste sábado e terminam o Campeonato Mundial com a medalha de prata pela segunda vez. O time dos Estados Unidos pôs fim ao sonho brasileiro do ouro na disputa em Stavanger, na Noruega: além da vitória na final, eliminaram Ana Paula e Shelda mais cedo, na semifinal.

- No torneio mais importante da temporada, fizemos uma final muito disputada e conseguimos terminar na frente de 46 das 48 duplas que competiram na Noruega. Eu e Larissa retomamos nossa parceria no fim de março e nosso objetivo é sempre chegar às decisões das etapas - comentou Juliana.


O jogo foi extremamente equilibrado, mas as americanas acabaram levando a melhor em apenas dois sets. No primeiro, uma vitória por incríveis 30 a 28. No segundo, 23 a 21. Na disputa do terceiro lugar, Talita e Maria Elisa derrotaram Ana Paula e Shelda também por 2 a 0, com parciais de 21/13 e 21/16.





Isinbayeva confirma favoritismo e leva o ouro em Oslo. Fabiana fica em quinto


Brasileira não repete boas atuações em segunda etapa da Golden League.


GLOBOESPORTE.COM Oslo, Noruega

Segunda colocada no ranking mundial do salto com vara, Fabiana Murer não conseguiu repetir boas atuações anteriores na etapa de Oslo, a segunda da Golden League em 2009. A brasileira ficou longe de sua melhor marca no ano (4,82m) e terminou com a quinta colocação após saltar 4,56m.

Recordista mundial na prova, a bicampeã olímpica Yelena Isinbayeva confirmou seu favoritismo e levou o ouro com 4,72m. Em um dia de muita umidade, que atrapalhou todas as atletas, a russa teve a marca igualada por Mônica Pirek, mas garantiu o lugar mais alto do pódio por tê-la atingido em após um número menor de tentativas. O bronze ficou com a russa Svetlana Feofanova (4,66 m).

Isinbayeva voou, mas não conseguiu ultrapassar os 4,81m nesta sexta-feira


Os 4,82m saltados por Fabiana no mês passado, no Rio de Janeiro, garantiram a ela o recorde sul-americano. Antes da prova desta sexta-feira, seu técnico, Élson Miranda, explicara que a principal preocupação com relação à atleta era a adaptação ao fuso horário.

A próxima competição da brasileira será o Grand Prix de Roma, no dia 10. Agora, ela segue para Fórmia, na Itália, onde ficará enquanto treina. A saltadora ainda compete no GP de Paris, dia 17, no estádio da Copa do Mundo de 1998.

- Ainda vou procurar resultados mais estáveis nos GPs e, pelo que estou saltando nos treinos, acho até que posso bater o recorde sul-americano - afirmou Fabiana.






Powell acelera na segunda metade e vence os 100m rasos na Golden League



Sem a concorrência de Bolt e Gay, jamaicano vence na Noruega.


GLOBOESPORTE.COM Oslo, Noruega Powell sofreu, mas faturou os 100m rasos


Sem Usain Bolt e Tyson Gay, a pista deveria estar mais limpa para Asafa Powell nos 100m rasos da Golden League em Oslo, na Noruega.


O jamaicano, no entanto, sofreu para vencer a prova e teve de acelerar na segunda metade para bater Daniel Bailey, de Antigua, e o compatriota Michael Frater. Powell cruzou a linha de chegada com o tempo de 10s07, o mesmo de Bailey.


Os dois foram seguidos de perto por Frater, com 10s08, e o quarto colocado foi o britânico Simeon Williamson, com 10s13.


Principal rival de Powell na prova desta sexta-feira, Bailey queimou a primeira largada. Na segunda, partiu muito bem, abrindo vantagem para o adversário. O jamaicano, no entanto, aumentou o ritmo nos últimos 50 metros e conseguiu arrancar a vitória apertada.

- Eu não me senti tão forte como normalmente me sinto. Não tive uma boa largada. De alguma forma passei à frente, mas não foi normal - afirmou Powell, que correu pela segunda vez após se recuperar de uma lesão no tornozelo.








FOTO: animador usa pé-de-pato para encarar a chuva na Golden League


Atletas e espectadores enfrentaram o mau tempo com bom humor na competição desta sexta-feira, em Oslo, na Noruega.



GLOBOESPORTE.COM Oslo, Noruega

A chuva torrencial que caiu em Oslo, na Noruega, despertou o espírito gaiato dos torcedores na Golden League de atletismo. Um animador chegou a circular pela pista usando pés-de-pato nesta sexta-feira.





Mineirinho faz declaração de amor à esposa, a surfista Claudinha Gonçalves



Vice-campeão do Mundial de Imbituba teve de desligar o telefone quando a amada embarcava para uma competição nas Ilhas Maldivas.


Gabriele Lomba Direto de Imbituba, SC Mineirinho ao ganhar a vaga para a final


A vitória escapou, mas Adriano de Souza, o Mineirinho, deixou Imbituba tão campeão quanto Kelly Slater. E, como todo vencedor, ele dedicou a boa campanha na etapa brasileira do Circuito Mundial à esposa, a também surfista Claudinha Gonçalves.


Claudinha está nas Ilhas Maldivas, competindo. Telefonou para o marido quando estava embarcando, quatro dias antes da final catarinense, mas não pôde receber muita atenção. Mineirinho, nesta sexta, fez de seu resultado histórico uma declaração de amor.

- Eu tive que desligar o telefone porque estava em uma sessão de autógrafos. Poxa, ela deve ter ficado um pouco chateada. Normalmente o campeão dedica a vitória. Eu dedico esse meu bom resultado a ela – disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário