Publicidade

Controle Contabilidade

;

SUPER SHOW GOMES

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Touro atinge 'matador' em arena de Madri
Israel Lancho foi chifrado na Arena de Las Ventas.
Ele foi hospitalizado em estado grave e seria operado.
O toureiro espanhol Israel Lancho é ferido pelo chifre de um touro durante competição no Festival de San Isidro, na Arena de Las Ventas, em Madri. (Foto: AFP).
Em estado grave, Lancho foi levado a um hospital para ser submetido a cirurgia. (Foto: AP)


Messi põe Cristiano Ronaldo no bolso, e Barcelona leva o título da Champions.

Argentino faz, de cabeça, o segundo gol nos 2 a 0 do Barça sobre o Manchester. Time catalão é pela terceira vez campeão europeu.


Marcos Felipe Direto de Roma
No estádio Olímpico de Roma, o confronto entre os melhores do futebol mundial na atualidade: Barcelona x Manchester United e Lionel Messi x Cristiano Ronaldo. Com superioridade nos 90 minutos nesta quarta-feira, o time espanhol levou a melhor, venceu por 2 a 0 e garantiu a conquista da Liga dos Campeões pela terceira vez em sua história. Entre os craques, vantagem do argentino: gol decisivo e palmas da torcida.
Cristiano Ronaldo, além sair derrotado no placar, também perdeu a linha em alguns momentos, abusou de jogadas violentas e foi vaiado na Itália. O primeiro gol foi de Samuel Eto'o. O meia Xavi foi eleito o melhor em campo.
Barça leva inédita tríplice coroa e põe Espanha na frente
A conquista coroa um ano espetacular do Barcelona, que pela primeira vez em sua história conquistou a tríplice coroa. Além de levar para casa a Liga dos Campeões, o time também ganhou o Campeonato Espanhol e a Copa do Rei da Espanha.
O título do Barça é o 12º da Espanha no principal torneio europeu, deixando o país como o maior campeão do campeonato (Real Madrid tem nove). A Inglaterra soma 11 (o Manchester foi o vencedor na temporada passada).
O Barcelona foi melhor em campo a maior parte do tempo, e deu show também nas arquibancadas do estádio Olímpico. A torcida catalã foi bem mais animada antes e durante a grande final da Liga dos Campeões. Antes do jogo, fãs de Barça e Manchester fizeram mosaicos. O dos ingleses homenageou o centenário de nascimento do lendário técnico Matt Busby, campeão europeu em 1968. Os catalães usaram as cores do clube e desenharam "FCB", sigla de Fútbol Club Barcelona.







No lado do Barcelona, o técnico Pep Guardiola pôde escalar seu trio ofensivo completo. Henry, que não jogava havia quase um mês, foi titular ao lado de Eto'o e Messi. No meio, Iniesta, recuperado de lesão muscular, atuou ao lado de Xavi e do volante Busquets. Sylvinho ocupou a vaga do suspenso lateral-esquerdo Abidal, enquanto Puyol foi deslocado para a lateral direita, no lugar do também sancionado Daniel Alves. A dupla de zaga teve Touré e Piqué.

Veja a galeria de fotos da final em Roma

No Manchester, o brasuca titular foi Anderson (Rafael ficou no banco), que teve Carrick e Giggs como companheiros no setor de meio-de-campo. Cristiano Ronaldo e Rooney formaram o setor ofensivo ao lado do coreano Park.

Manchester domina início, mas gol do Barça muda cara do jogo
O Barcelona começou a partida nitidamente mais nervoso que o Manchester. Os Diabos Vermelhos dominaram os minutos iniciais marcando a saída de bola dos rivais. Logo no primeiro minuto, Cristiano Ronaldo assustou em cobrança de falta que Valdés rebateu para o meio da área. Por sorte do Barça, a zaga afastou antes de Park pegar a sobra.


Os Diabos seguiram melhores e, uma vez mais com Cristiano Ronaldo, chegaram com perigo aos sete minutos. O gajo recebeu no lado esquerdo da área, ajeitou e bateu firme. A bola saiu perto do poste esquerdo do goleiro Valdés.


Mas o domínio do Manchester United ruiu aos nove minutos. Em sua primeira chegada de perigo, o Barça abriu o marcador. Eto'o arrancou pelo lado direito, deu um lindo corte em Vidic e bateu de bico. Van der Sar ainda tocou na bola, que foi parar no fundo da rede.


Em desvantagem, quem mostrou certo descontrole nos lances subsequentes foi a equipe inglesa. Um recuo de bola errado acabou saindo pela linha de fundo. Depois, Anderson deu uma furada bisonha em lance no meio.

BRASIL MUNDIAL FC: Melhor ataque, Barça ganhou sabendo defender. Concorda? Aos poucos, Messi, que estava sumido na partida, começou a aparecer. O argentino assustou Van der Sar com uma bomba de fora da área que saiu rente ao travessão, aos 19 minutos.


saiba mais :

O panorama até o fim do primeiro tempo seguiu sendo o Barcelona mais com a bola, sem sofrer muitos riscos, embora também não muito contundente. Cautelosas, as equipes se respeitaram e o placar ao fim do primeiro tempo continuou 1 a 0 para o Barça, que foi para o vestiário muito aplaudido por seus torcedores.

Manchester se abre, e sofre com contragolpes

No segundo tempo, Alex Ferguson tentou pôr o Manchester mais ofensivo e sacou Anderson para lançar Tevez. A mexida não surtiu o efeito esperado logo de cara e o Barcelona passou a dominar ainda mais. Nos dez primeiros minutos, o Manchester assistiu ao rival jogando. Aos 7, Xavi carimbou a trave de Van der Sar em cobrança de falta da meia-lua.

Aos poucos, o Barça recuou para sair nos contragolpes. O Manchester apareceu bem duas vezes pelo lado direito, com Rooney cruzando para a área. Na primeira, Cristiano Ronaldo não alcançou na pequena área. A segunda foi travada por Piqué.

Aos 20 minutos, Ferguson fez outra substituição para tentar deixar o Manchester mais ofensivo. O treinador tirou Park e mandou a campo o atacante Berbatov. Muito exposto, o Manchester pagou caro.

Melhor em campo, Xavi dá o passe para o gol de Messi

Aos 24, Xavi avançou pela direita e levantou com açúcar para Messi, livre na grande área. La Pulga subiu com estilo e testou no canto oposto de Van der Sar. Um belo gol do Barcelona. Posteriormente, Xavi seria eleito o melhor em campo.

O Manchester não se entregou e por pouco não diminuiu dois minutos mais tarde, com Cristiano Ronaldo. Após cruzamento que passou por toda a área, Cristiano Ronaldo recebeu no lado esquerdo e bateu na saída de Valdés. A bola desviou no goleiro e foi para fora.
A tônica do jogo seguiu a mesma, com o Manchester tentando o ataque de forma desordenada e o Barcelona muito perigoso nos contra-ataques. Nervoso, Cristiano Ronaldo acertou Puyol três vezes em jogadas diferentes (uma cotovelada, um carrinho e uma trombada) e acabou advertido com o cartão amarelo.
Scholes, que entrou no lugar de Giggs, também levou amarelo por falta muito violenta em Busquets. Alheio às pancadas, o Barça seguiu sereno na partida.
No fim, o Barça levou o título e encerrou uma freguesia que tinha perante os Diabos Vermelhos. Nos outros três confrontos mata-mata com os ingleses por copas europeias, os espanhóis haviam perdido. E que hora mais apropriada para quebrar a escrita.


Ficha técnica:

BARCELONA 2 x 0 MANCHESTER UNITED
Valdés, Puyol, Touré, Piqué e Sylvinho; Busquets, Xavi e Iniesta (Pedro); Messi, Eto'o e Henry (Keita).
Van der Sar, O'Shea, Ferdinand, Vidic e Evra; Carrick, Anderson (Tevez) e Giggs (Scholes); Park (Berbatov), Rooney e Cristiano Ronaldo.
Técnico: Josep Guardiola.
Técnico: Alex Ferguson.
Gols: Eto'o, aos 9 minutos do primeiro tempo, e Messi, aos 24 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Piqué (BAR), Cristiano Ronaldo, Vidic e Scholes (MAN). Cartão vermelho: -.
Estádio: Olímpico de Roma (ITA). Data: 27/05/2009. Árbitro: Massimo Busacca (SUI). Auxiliares: Matthias Arnet (SUI) e Francesco Buragina (SUI).

terça-feira, 26 de maio de 2009

Noivo taiwanês morre após beber muito em festa de casamento
Homem de 35 anos perdeu a consciência em sua casa.Ele chegou a ser hospitalizado, mas não resistiu ao tratamento.
Um noivo taiwanês morreu no dia de seu casamento após ter bebido muito vinho e cerveja, noticiou a agência de notícias Reuters, citando fontes policiais e a mídia local. O homem de 35 anos era um corretor de seguros e perdeu a consciência em sua casa após ter bebido muito no sábado, em um restaurante de Taipei, entre mais de 100 convidados.
Segundo a Reuters, não se sabe se ele tinha problemas de saúde. "Todos estavam se divertindo", disse a organizadora da festa Linda Chien à agência. "Não sabemos o que aconteceu depois disso."
O homem, de sobrenome Wu, chegou a ser hospitalizado, mas um porta-voz do hospital afirmou que ele morreu mesmo após ter recebido tratamento.
Agência sul-coreana diz que Coreia do Norte lançou novo míssil
Esse teria sido o terceiro consecutivo de lançamentos. ONU já condenou supostos testes feito pelo governo de Pyongyang.
Do G1, com agências.

A Coreia do Norte lançou na manhã dessa quarta-feira (27) (noite de terça-feira pelo horário de Brasília), pelo terceiro dia consecutivo, um míssil de curto alcance em sua costa oriental, segundo fontes oficiais sul-coreanas citadas pela agência local "Yonhap".
Na segunda-feira (25), o regime comunista norte-coreano realizou um teste nuclear subterrâneo e disparou três mísseis balísticos. No dia seguinte, lançou mais dois mísseis de curto alcance.
"As autoridades dos serviços de Inteligência estão acompanhando de perto a situação", revelou a fonte, citada pela agência sul-coreana, para a agência de notícias “France Presse”.
Nessa terça-feira (26), a Coreia do Norte teria disparado em direção ao mar dois mísseis de curto alcance em sua costa leste, também segundo a agência de notícias "Yonhap".
Os disparos ocorreram após o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) ter condenado, por unanimidade, os exercícios norte-coreanos.
De acordo com a "Yonhap", o principal indicativo de que a Coreia do Norte estava prestes a lançar mísseis do tipo KN-01, que têm alcance de cerca de 160 km, foi a proibição, por ordem de Pyongyang, de circulação de navios em sua costa ocidental. "A proibição na navegação tem efeito entre os dias 25 e 27. Parece provável que a Coreia do Norte irá lançar mísseis de curto alcance entre hoje (terça-feira) ou amanhã", afirmou a fonte à agência Yonhap.
Após o teste nuclear de segunda-feira, a Coreia do Norte publicou comunicado na agência estatal KCNA afirmando estar preparada para "ataque preventivo" por parte dos Estados Unidos. "Nosso Exército e nosso povo estão prontos para lutar contra qualquer tentativa irresponsável por parte dos EUA em lançar um ataque preventivo", diz o documento.

Ministro do TSE, Cezar Peluso, em sessão de 23/08/2007
Publicada a Resolução que disciplina o processo de perda de cargo eletivo
30 de outubro de 2007 - 17h15
Ver Arquivos
Foi publicada hoje (30), no Diário da Justiça, a Resolução 22.610 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de relatoria do ministro Cezar Peluso (foto), que disciplina o processo de perda de cargo eletivo, bem como de justificação de desfiliação partidária. Os partidos políticos interessados têm, a partir de hoje, 30 dias para pedir a decretação de perda do cargo eletivo em decorrência de desfiliação partidária sem justa causa, no caso daqueles políticos que se desligaram depois dos dias 27 de março (deputados federais, estaduais e distritais; vereadores) e 16 de outubro (senadores, prefeitos, governadores, presidente da República), respectivamente.Quando o partido político não formular o pedido dentro de 30 dias da desfiliação, podem fazê-lo, em nome próprio, nos 30 dias subseqüentes, quem tenha interesse jurídico ou o Ministério Público Eleitoral.A minuta da Resolução foi apreciada pelo Plenário do TSE na noite do dia 25 de outubro passado, quando se definiu que são quatro as hipóteses que autorizam o mandatário a sair do partido sem sofrer a perda do cargo: se o partido sofrer fusão ou for incorporado por outro; se houver criação de novo partido; se houver mudança substancial ou desvio do programa partidário; ou ainda, ocorrer grave discriminação pessoal do mandatário. Na mesma sessão se estabeleceu que a fidelidade partidária vale a partir de 27 de março para os mandatários de cargos proporcionais e, a partir de 16 de outubro, para os eleitos pelo sistema majoritário. As datas foram definidas pelos ministros como marcos temporais por serem os dias, respectivamente, das respostas às Consultas 1398 (cargos proporcionais) e 1407 (cargos majoritários). A Resolução entra em vigor na data de sua publicação. LegislaçãoOs julgamentos do Plenário do TSE são publicados no Diário da Justiça na forma de acórdãos ou resoluções. Tornam-se resoluções as decisões decorrentes de processos administrativos, dentre os quais incluem-se as consultas.Neste caso, o TSE julgou conveniente elaborar um projeto de Resolução que regulasse o processo administrativo de justificação de desligamento de partido político, considerando o curso de mandato eletivo (artigo 23, inciso XVIII, do Código Eleitoral). Para tanto, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Marco Aurélio Mello, por meio da Portaria nº 465, de 5 de outubro de 2007, designou o ministro Cezar Peluso para atuar, como relator. A medida foi tomada após o pronunciamento do Supremo Tribunal Federal nos Mandados de Segurança 26.602, 26.603 e 26.604, que tratavam da questão sobre fidelidade partidária.AM/SCLeia o inteiro teor da Resolução.
R E S O L U Ç Ã O Nº 22.610
Relator Ministro Cezar Peluso

O Tribunal Superior Eleitoral, no uso das atribuições que lhe confere o art. 23, XVIII, do Código Eleitoral, e na observância do que decidiu o Supremo Tribunal Federal nos Mandados de Segurança nº 26.602, 26.603 e 26.604, resolve disciplinar o processo de perda de cargo eletivo, bem como de justificação de desfiliação partidária, nos termos seguintes:Art. 1º - O partido político interessado pode pedir, perante a Justiça Eleitoral, a decretação da perda de cargo eletivo em decorrência de desfiliação partidária sem justa causa.
§ 1º - Considera-se justa causa:I) incorporação ou fusão do partido;II) criação de novo partido;III) mudança substancial ou desvio reiterado do programa partidário;IV) grave discriminação pessoal.§ 2º - Quando o partido político não formular o pedido dentro de 30 (trinta) dias da desfiliação, pode fazê-lo, em nome próprio, nos 30 (trinta) subseqüentes, quem tenha interesse jurídico ou o Ministério Público eleitoral.§ 3º - O mandatário que se desfiliou ou pretenda desfiliar-se pode pedir a declaração da existência de justa causa, fazendo citar o partido, na forma desta Resolução.Art. 2º - O Tribunal Superior Eleitoral é competente para processar e julgar pedido relativo a mandato federal; nos demais casos, é competente o tribunal eleitoral do respectivo estado.Art. 3º - Na inicial, expondo o fundamento do pedido, o requerente juntará prova documental da desfiliação, podendo arrolar testemunhas, até o máximo de 3 (três), e requerer, justificadamente, outras provas, inclusive requisição de documentos em poder de terceiros ou de repartições públicas.Art. 4º - O mandatário que se desfiliou e o eventual partido em que esteja inscrito serão citados para responder no prazo de 5 (cinco) dias, contados do ato da citação.§ único – Do mandado constará expressa advertência de que, em caso de revelia, se presumirão verdadeiros os fatos afirmados na inicial.Art. 5º - Na resposta, o requerido juntará prova documental, podendo arrolar testemunhas, até o máximo de 3 (três), e requerer, justificadamente, outras provas, inclusive requisição de documentos em poder de terceiros ou de repartições públicas.Art. 6º - Decorrido o prazo de resposta, o tribunal ouvirá, em 48 (quarenta e oito) horas, o representante do Ministério Público, quando não seja requerente, e, em seguida, julgará o pedido, em não havendo necessidade de dilação probatória.Art. 7º - Havendo necessidade de provas, deferi-las-á o Relator, designando o 5º (quinto) dia útil subseqüente para, em única assentada, tomar depoimentos pessoais e inquirir testemunhas, as quais serão trazidas pela parte que as arrolou.§ único – Declarando encerrada a instrução, o Relator intimará as partes e o representante do Ministério Público, para apresentarem, no prazo comum de 48 (quarenta e oito) horas, alegações finais por escrito.Art. 8º - Incumbe aos requeridos o ônus da prova de fato extintivo, impeditivo ou modificativo da eficácia do pedido. Art. 9º - Para o julgamento, antecipado ou não, o Relator preparará voto e pedirá inclusão do processo na pauta da sessão seguinte, observada a antecedência de 48 (quarenta e oito) horas. É facultada a sustentação oral por 15 (quinze) minutos.Art. 10 - Julgando procedente o pedido, o tribunal decretará a perda do cargo, comunicando a decisão ao presidente do órgão legislativo competente para que emposse, conforme o caso, o suplente ou o vice, no prazo de 10 (dez) dias.Art. 11 – São irrecorríveis as decisões interlocutórias do Relator, as quais podem ser revistas no julgamento final. Do acórdão caberá, no prazo de 48 (quarenta e oito) horas, apenas pedido de reconsideração, sem efeito suspensivo.Art. 12 – O processo de que trata esta Resolução será observado pelos tribunais regionais eleitorais e terá preferência, devendo encerrar-se no prazo de 60 (sessenta) dias.Art. 13 - Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, aplicando-se apenas às desfiliações consumadas após 27 (vinte e sete) de março deste ano, quanto a mandatários eleitos pelo sistema proporcional, e, após 16 (dezesseis) de outubro corrente, quanto a eleitos pelo sistema majoritário.§ único – Para os casos anteriores, o prazo previsto no art. 1º, § 2º, conta-se a partir do início de vigência desta Resolução.Marco Aurélio - Presidente. Cezar Peluso - Relator. Carlos Ayres Britto. José Delgado. Ari Pargendler. Caputo Bastos. Marcelo Ribeiro.Brasília, 25 de outubro de 2007.
Achei que o avião ia cair’, conta vítima de turbulência em voo em SP
Airbus da TAM passou por forte zona turbulenta na segunda-feira. Empresa disse que 21 pessoas ficaram feridas no voo.
Carolina Iskandarian Do G1, em São Paulo
Foto: Rubens Cavallari/Folha Imagem
Marilda Torres ficou ferida durante turbulência em voo da TAM (Foto: Rubens Cavallari/Folha Imagem)
Depois do susto por ter o rosto machucado em uma queda durante turbulência em um voo na noite desta segunda-feira (25), em São Paulo, a empresária Marilda Torres, de 56 anos, tomou duas decisões: não vai mais voar de TAM e quer processar a empresa. No Airbus A330-200, que levava 154 passageiros, 21 pessoas ficaram feridas.
TAM diz que 21 passageiros se feriram durante turbulência em avião
“Vou entrar com o processo para reparar os danos. Será que o radar não viu [que viria zona turbulenta?]”, questionou a empresária, que tinha levantado para levar uma bandeja de comida até a cozinha, distante quatro fileiras de onde ela estava. “Eu subi para o teto e senti minhas pernas flutuando. Comecei a gritar. Foi uma coisa de outro mundo. Achei que o avião ia cair e tinha chegado a minha hora”, afirmou ela nesta terça, lembrando o momento em que caiu sentada. Marilda teve cortes no supercílio e no nariz, além de ter ficado com o olho roxo. “Acho que uma mala caiu em cima de mim”. Ela precisou se arrastar até chegar ao assento. O marido da empresária estava sentado ao lado e não sofreu ferimentos. “Uma senhora foi até lá em cima. Chegou a amassar o teto”, relatou Marilda. De acordo com ela, o aviso para afivelar o cinto só apareceu depois da primeira queda. “Se o comandante tivesse avisado eu não teria levantado”, disse. Entre os feridos, havia um homem que teve a prótese na perna deslocada. Ele ficou estirado no chão até o momento do pouso. "A mulher dele chorava e dizia que a prótese do quadril tinha se deslocado".
Direitos Presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da Ordem dos Advogados do Brasil em São Paulo, José Eduardo Tavolieri disse que, se o aviso para atar os cintos só foi dado depois da primeira perda de altitude, como dizem os passageiros, a TAM pode ser responsabilizada. “A empresa não conseguiu a tempo prever o problema”, justificou o advogado sobre a suposta situação. A assessoria de imprensa da companhia aérea foi procurada, mas, até as 14h30, não havia dado retorno. Também advogado e passageiro do voo JJ-8095, Alexandre Aleixo, de 38 anos, confirmou que todos foram pegos de surpresa e havia muita gente sem cinto de segurança. “Foi muito inesperado. Num primeiro momento, você nem raciocina. Fica agarrado à cadeira e na expectativa”, contou. De acordo com ele, a aeronave, que vinha de Miami e pousou no aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, deu “dois trancos”. “O segundo foi violentíssimo”. Aleixo também viu o passageiro ferido estendido no chão. “O comandante pediu que aqueles que estivessem perto o segurassem. Se não fosse com as mãos, que fosse com os pés”.
Dois internados
Dois passageiros feridos no voo da TAM seguem internados em hospitais de São Paulo na tarde desta terça-feira (26), segundo nota oficial da assessoria de imprensa da empresa. Com diagnóstico de fraturas, um está no hospital Oswaldo Cruz, e o outro, no Albert Einstein, ambos acompanhados por funcionários da companhia, informa a nota.
Além disso, uma passageira menor de idade, que já estava em casa, em Ribeirão Preto, a 313 km de São Paulo, sentiu dores, foi examinada em um hospital da cidade e apresentou diagnóstico de fratura. A vítima também está recebendo assistência, sendo acompanhada por um funcionário da companhia.
Ao todo, 21 ocupantes da aeronave - 16 passageiros e 5 comissários - foram atendidos pelo corpo médico da Infraero e receberam toda a assistência da TAM. Treze foram liberados em seguida; outros oito, encaminhados para hospitais, dos quais seis já receberam alta, completa a nota da TAM.

Feridos em voo da TAM foram levados para hospitais (Foto: Lawrence Bodnar/Diário de SP/Ag. O Globo)